RECOMEÇAR

Recomeçar é estar ferido e suportar; é estar cansado e continuar!

FLORESCIMENTO

O entendimento e a aceitação da capacidade em si direciona a um novo modo de ver a vida, o mundo e a nós mesmos.

AME-SE

Crônica publicada na Revista Ser Espírita.

CHICO XAVIER - TRAÇOS BIOGRÁFICOS

O sonho de todo médium é aproximar-se de sua obra!

O TEMPO E A ETERNIDADE

Não deixemos que o mal uso do tempo presente determine uma eternidade dolorosa.

6 de outubro de 2012

Gratidão

Todos os dias recebemos pequenos presentes de Deus, da Vida, do Universo. Quantas vezes paramos e agradecemos por um "Bom dia" recebido, por um lugar cedido no ônibus rumo ao trabalho ou simplesmente por acordar mais um dia e poder fazer melhor hoje o que deixamos a desejar ontem. Não lembramos dessas pequenas gentilezas por considerarmos "obrigação" daquele que chega em cumprimentar, "falta de educação" do que não cede o banco, e pensamos ser esse dia que nasce, diante de nossos olhos, mais enfadonho que o anterior; que tudo se repetirá.
Não atentamos para as pequenas sutilezas capazes de melhorar o astral de qualquer um que se disponha a perceber. Interessante, que até para ver no outro a gentileza tão esperada é preciso estar receptivo. Em diversas ocasiões pude observar pessoas sendo gentis, desejando um bom dia àqueles que ainda aguardavam sua senha ser chamada, e os que permaneceram, ao invés de retribuir o gesto, simplesmente riram e disseram "já é boa tarde".
Nós cidadãos convivendo numa cidade "grande" como Belém não estamos acostumados com essas pequenas cordialidades. Muitos atribuem à falta de tempo o não perceber. Estamos tão ávidos em trabalhar, ganhar mais, produzir mais, cumprir metas que esquecemos e nos desacostumamos a retribuir um simples, "bom dia" ou mesmo dizer "obrigada" por uma informação pedida, como se fosse "obrigação" de tal pessoa saber a resposta.
Quando aprendermos a agradecer a Deus por mais um dia ensolarado, estaremos aptos a retribuir a quantos "bons dias" recebermos. Enquanto tratarmos apenas as ações do outro como "obrigação" e nos desobrigando a retribuição, não perceberemos o quanto somos ingratos, não somente com as pessoas, mas com Deus que nos deu belas oportunidades de alegrias e agradecimentos pela vida que temos, pelas pessoas que amamos e nos amam. Quando percebermos que necessitamos tratar as pessoas como queremos ser tratados, entenderemos que a "boa ação" precisa partir de nós.

5 de outubro de 2012

Oportunidade

Crônica publicada na Revista Amanhã ou Depois do dia 03/10/12
http://www.amanhaoudepois.com/


quarta-feira, outubro 03, 2012

Crônica "Oportunidade"


Muitas são as oportunidades que surgem em nossas vidas. Algumas são frutos da nossa persistência, outras surgem tal qual um presente de Deus. Porém, na maioria dos casos não percebemos quando a oportunidade tão desejada se apresenta, por ansiarmos uma resposta e recebermos outra.

A consequência de não enxergarmos as possibilidades, é que deixamos passar as chances de mudanças: umas “radicais” em nossa realidade, outras apenas como reforço do nosso modo de viver. A grande questão é avaliar de que modo essa novidade pode ser benéfica, ou se estamos preparados para as mudanças produzidas por elas.

Em diversos momentos de nossa vida questionamos tudo que nos acontece; perguntamos a Deus sobre a importância; se merecemos ou quando acabará o sofrimento. Enquanto isso, deixamos de perceber as pequenas oportunidades de evitar tantas perguntas. Uma vez que, a cada novo amanhecer surge uma oportunidade de obter tais respostas, mas insistimos em refazer as mesmas perguntas.

Quando conseguirmos despertar para a realidade do “fazer acontecer”, por fim, entenderemos que somos plenamente capazes de criar novas oportunidades. De, enfim, chegar às respostas das perguntas mais inquietantes do nosso ser. Será possível nos tornarmos pessoas melhores, que são capazes de observar as oportunidades ante tantas adversidades.

Tantos questionamentos nos impedem de compreender a grandiosidade da vida; as vantagens de sermos pessoas de consciência leve; que sorriem para um belo dia ensolarado, pois não lembraremos que o dia anterior estava nublado, ou mesmo chuvoso. Simplesmente seremos felizes pela oportunidade de fazer diferente!

Por Francy Rocha  

1 de outubro de 2012

Entendimento

Entender nossa significação nos eventos cotidianos é tão trabalhoso quanto trilhar no caminho reto. É necessário nos apercebermos enquanto contribuintes direto de nossa jornada. Há quem diga que nossa vida é um livro escrito por nós mesmos, e todos os dias elaboramos uma nova página.
Ao entendimento dessa afirmação precisamos ter cuidado com nossas ações a fim de produzir um bom conteúdo a ser publicado. Cada situação em que nos encontrarmos exige de nós um conhecimento que deveria ter sido aprendido na página anterior. No entanto, isso não é possível, uma vez que não observamos tal necessidade.
A medida que avançamos na produção literária de nossas vidas, precisamos fazer constante reflexão acerca do texto elaborado. Isso somente é possível revendo nossos sentimentos, pois a partir deles os pensamentos ganham forma, tornando-se uma ideia para, então serem atitudes. Cada atitude deixa marcas profundas, por isso devemos avaliar de que forma queremos marcar nossa vida. Para evitar marcas indesejadas precisamos observar nossas atitudes para que nossas páginas tenham um conteúdo melhor a cada dia.

24 de setembro de 2012

Autorretrato

É muito doloroso fazer um exercício de autoanálise. Enxergar seus erros, acertos e o que precisa ser melhorado. Costumo dizer que devemos ver nossa vida num grande quadro à nossa frente, pois desse modo conseguiremos visualizar cada ponto com uma perspectiva externa e avaliar de forma mais imparcial possível.
Entretanto questiono quanto à possibilidade dessa tentativa, pois para que possamos fazer o que se pede é necessário admitir os erros, defeitos e o que precisamos mudar. Sempre apontamos isso nas outras pessoas com uma facilidade imensa, mas quando se trata de nós, é complicado por exigir uma super dosagem de discernimento e aceitação de nossos defeitos.
De que modo podemos iniciar esse processo de aceitação? O ideal é nos olharmos como seres falíveis, ainda em aprendizado, e que a simples tentativa de mudar se configura numa árdua tarefa. Quando conseguirmos olhar para nós mesmos sem nos vermos como seres perfeitos, estaremos dando início a esse processo retificador.
No momento em que admitirmos sentir raiva, mágoa, ciúmes, inveja. Teremos dado um pequeno passo para uma mudança profunda, uma vez que reconhecer essas situações nos fará ver de modo diferente o outro. Pois somente conseguimos perceber o outro enquanto carente de compreensão, quando também necessitamos.
Ainda estamos longe de nutrir um sentimento desapegado, que apenas visa à felicidade e não a posse; que deseja o crescimento e não o aniquilamento; que ama e não espera amor em troca. Porque amor não é moeda para ser trocada. Quem sabe um dia estaremos nesse patamar e nem perceberemos essa chegada. Apenas nos perceberemos um degrau acima e ficaremos felizes com essa pequena evolução.

24 de maio de 2012

O tempo e a eternidade

O tempo age de forma interessante, sempre que pensamos haver "tempo" suficiente para realizar uma tarefa, somos penalizados com a sua falta em outra situação. Não existe um manual explicativo nos ensinando a usar de forma melhor o nosso dia, nossa vida e nossa "eternidade". O conceito de eternidade se confunde com o de tempo, sendo separados apenas por uma atitude, pois ao usar melhor nosso tempo hoje, vamos escrevendo uma eternidade mais produtiva.
Parece confuso pensar dessa forma, mas é como as coisas se dão, uma vez que a eternidade não se trata de futuro, e sim do presente. Olhando para o que estamos construindo, como estamos vivendo poderemos analisar a qualidade do que é eterno em nossa vida, em nossa história. O tempo se trata do momento que devemos agir, enquanto a eternidade registra a consequência de tais atos. Devemos ter cuidado com nossas decisões, pois em alguns casos corrigir o erro de uma decisão mal tomada ou precipitada gera consequências absurdas e de difícil resgate. Não deixemos que o mal uso do tempo presente determine uma eternidade dolorosa.

As nobrezas da vida

As nobrezas da vida estão além de nossa compreensão. Mais simples é tentarmos entender como uma pessoa se dispõe a ajudar alguém somente pelo ato de ajudar. A grande maioria  só estende a mão quando almeja receber algo em troca, nem que seja um mero reconhecimento. Outros vão mais além, desejando o enaltecimento de sua "ajuda". 
A melhor ajuda que podemos prestar é aquela vinda do coração, quando damos ou fazemos algo apenas pelo desejo de ajudar um "necessitado". Porém em muitos casos deixamos de fazê-lo por não saber reconhecer um real necessitado, pois muitas pessoas usam o véu da necessidade para obter benefícios em detrimento daqueles que precisam. Acredito que não devemos esmorecer e nem endurecer ao encontrar pessoas assim, uma vez que significam um teste à nossa vontade de ajudar desinteressadamente. Muitas vezes aquele que engana é o maior necessitado, pois precisa de compreensão e aceitação, ele se julga injustiçado e para " conseguir" algo tenta levar vantagem tentando evitar uma perda.
Compreender essas atitudes pode significar a melhora de conduta do praticante, pois ele perceberá que não precisa agir dessa forma. A partir do momento que não deixamos de acreditar que essa pessoa pode se tornar alguém menos armada e na defensiva, demonstrarmos que temos fé na melhora. Entretanto o melhor início  de tudo é estar de olho em nossa conduta, justamente por servirmos de espelho. Quando agimos de modo sincero e desinteressado, assim agirão conosco. Não devemos aguardar a melhora para que então melhoremos. Qualquer mudança ou melhora começa de dentro, no coração.

22 de março de 2012

Um olhar!

Uma estrela é semelhante a um olhar, pois ela está ali parada aguardando para ser compreendida em sua essência. Assim acontece com um olhar de amor, ele aguarda receber um olhar tão sincero quanto aquele que foi lançado. Alguns casais quando se amam no fundo do coração enviam esse olhar o tempo todo, sem precisar de plateia, apenas para o ser amado sentir o que se está sentindo no momento.
O amor sincero está longe de ser compreendido pela grande maioria, pois ainda não se despiram das vestes do orgulho, do medo, da dúvida e do ciúme. A certeza de que esses sentimentos não habitam mais nossos corações, existe quando não há malícia ao desejar o ser amado. Sentir seu toque mesmo que não esteja perto é uma forma de sintonia, de entendimento, de que os corações batem no mesmo ritmo. E as provações uniram esse casal antes mesmo de se conhecerem fisicamente, porque seu pensamento, atitude e caráter são os mesmos, pois entendem que a vida é boa independente daquilo que nos acontece, das desilusões que sofremos, e que na hora certa chegará a pessoa que nos compreenderá com um simples olhar.
Esse olhar não é para ver o físico, a forma na qual nos apresentamos nesse momento, mas para ver aquilo que o olho humano não é capaz de ver: a essência do espírito que já retirou os véus que o atrasavam e agora é possível ver o que realmente é necessário, aquilo que vai no coração, a bondade e a sinceridade. Quando conseguirmos ver essas qualidades, um amor tão puro é despertado em nosso coração que nem percebemos como acontece.
A maioria dos encarnados sonha com um amor, mas apenas esperam receber sem os devidos méritos. Isso ainda está longe de ocorrer porque recebemos aquilo que emitimos. E não se trata de punição, mas de lei da atração. Eu atraio ondas semelhantes àquelas que eu envio. Assim é a lei de Deus, e assim permanecerá. É preciso melhorar a qualidade de nossos pensamentos e sentimentos para que sejamos abençoados com o retorno de bons fluídos. E então seremos capazes de enxergar todos os olhares de amor destinados a nós!

OBS: Esse texto  foi escrito com a ajuda de amigos espirituais empenhados em esclarecer todos acerca dos mistérios da vida.